Fatos curiosos sobre o esforço físico do Squash

Estatísticas em todo esporte são importantes. Já falei sobre isso em outro momento, quando resumi um conjunto de informações dispersas na Internet sobre o Squash. Recentemente, a PSA passou a analisar oficialmente a demanda física ou de esforço dos jogadores de mais alto nível. Fatos curiosos foram apresentados.

No aberto da Suécia de 2018, Tarek Momen (Egito) e Mathieu Castagnet (França) disputaram uma partida de 97 minutos. Um recorde para o torneio. Momen (vencedor) percorreu um total de cinco quilômetros. Bateu na bola quase mil vezes e, em média, cobriu 48 metros de quadra em cada ponto jogado. Isso significa que ele gastou 60% da partida (aproximadamente 60 minutos) em jogo. Isto é, sem descansar durante os pontos ou entre os games.

Tarek Momen | Imagem: psaworldtour.com

Os cinco quilômetros percorridos são como 500 tiros de corrida de ida e volta de uma extremidade a outra da quadra. Em geral, isso consiste de tiros de 36 metros. Destes, 50% é para trás, seguido de um agachamento do tipo avanço ou de um movimento dinâmico para bater na bola, e seguido de outro movimento de explosão para voltar para o T (centro da quadra) já pensando em tentar se antecipar a próxima jogada.

Fatos curiosos em perspectiva

Colocando em perspectiva, durante o Torneio de Wimbledon de Tênis de 2017, a partida mais longa foi registrada entre Gilles Muller e Rafael Nadal, que durou cinco sets e 288 minutos (quase cinco horas de jogo). Nessa ocasião, Nadal cobriu aproximadamente 3,6 quilômetros em 389 pontos – uma média de 9,4 metros por ponto.

Já Momen, como citado, cobriu aproximadamente cinco quilômetros em 100 pontos. Uma média de 48 metros por ponto. Comparativamente ainda, Momen cobriu 1,3 quilômetros mais do que Nadal em um terço a menos do tempo. Isto é, Momen esteve em jogo por 60% da partida, o que coloca o Squash entre os que mais exigem do atleta nesse quesito. Apenas esportes como o futebol ou o hóquei registram números mais altos.

Nadal esteve em jogo por apenas 15% disso. Ou seja, Momen cobriu uma distância maior, em menor tempo, com menor descanso e com maior distância por ponto. Além disso, 24 horas depois ele estava em quadra novamente contra Cameron Pilley, quando venceu em quatro games (3×1), percorreu mais 2,5 quilômetros e bateu na bola cerca de 500 vezes.

De onde saíram esses fatos curiosos

Todos esses dados do Squash foram obtidos em parceria entre a PSA, interactiveSquash (sistema ‘MoTrack’) e Sports Data Labs. Dentre as informações obtidas, destacam-se o ritmo cardíaco, que regularmente registra picos de 190 batimentos por minuto (bpm) e, muitas vezes, atingindo até 200 bpms.

Todavia, ainda mais impressionante é a velocidade e habilidade de recuperação dos jogadores, que têm entre quatro a dez segundos entre os pontos para recomeçar novamente o rally e estar com os batimentos cardíacos menos acelerados. Comparativamente, no Tênis, os jogadores tem em média 25 segundos para se recompor entre os pontos. No Badminton, a média é de 12 segundos entre um ponto e outro.

Conclusão

Todos nós squashistas sabemos o quanto um jogo mais disputado pode demandar do nosso corpo. Por isso, muitos de nós nos engajamos em alguma atividade complementar para melhorar o condicionamento físico. Isso parece uma necessidade tanto para amadores quanto para profissionais.

Por exemplo, na primeira etapa do circuito brasileiro de 2018 promovida pelo NSB (Novo Squash Brasil) em março, ficou evidente que para além da técnica, ter um bom preparo se mostra essencial para os jogadores. Em alguns jogos, vimos os atletas profissionais demonstrando extremo cansaço, mas ainda competindo.

Sem dúvida, portanto, que essa iniciativa da PSA é extremamente válida. Ou seja, os fatos curiosos só realçam o que todos nós viciados fãs de Squash observamos no cotidiano e nos vídeos dos campeonatos profissionais. Consequentemente, os números oficiais e registrados eletronicamente de partidas de alto nível reforçam o quão demandante fisicamente o Squash pode ser.

No fim, se o objetivo é jogar Squash para além de simplesmente praticar uma atividade física, vale sempre o adágio. Não se joga Squash para entrar em forma; se entra em forma para jogar Squash.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui

ENTENDA O SQUASH

428FãsCurtir
721SeguidoresSeguir
120SeguidoresSeguir
270InscritosInscrever

Curtinha do squashistas

Receba mensalmente atualizações no seu email.