A história mais espetacular do esporte: a dinastia Khan no Squash

Todo esporte tem suas histórias, causos, estatísticas e particularidades. Aqui se fala sobre Squash. Por isso, como diz o ditado, sempre há espaço para puxar a brasa para a própria sardinha. E quando essa oportunidade acontece naturalmente, melhor ainda. Que o Squash é um esporte fantástico, disso não tenho dúvida. A existência desse blog se deve também a isso. Creio que todos gostamos de curiosidades, trajetórias pessoais de sucesso e que nos inspirem no que fazemos. Aqui se contará um pouco da história mais espetacular do esporte até o momento.

Essa postagem é dedicada a saga da família paquistanesa Khan1, que dominou o Squash no século XX. Pode parecer coincidência, mas o próprio nome, talvez, já fosse um indicativo da soberania do clã. Bom, para entender isso, um bom texto do The Guardian retrata a jornada da família como a mais impressionante do mundo esportivo. Vamos a ela.

INÍCIO DA HISTÓRIA MAIS ESPETACULAR DO ESPORTE: PRIMEIRA DINASTIA KHAN

Durante o final do século XIX e início do século XX, as forças armadas britânicas estabeleceram vários clubes de Squash no noroeste da Índia. Como resultado, um deles se localizava em Peshawar, onde um jovem Hashim Khan trabalhava como gandula. Durante a noite, quando os oficiais britânicos se retiravam de quadra, Hashim, um pequeno, magro e não muito promissor atleta, jogava contra si mesmo, descalço e já tarde da noite. Determinado e obstinado, Hashim se transformou primeiro em treinador, para então ser um jogador profissional. Ele venceu o primeiro campeonato indiano, o primeiro paquistanês e,  consequentemente, acabou vencendo também o Aberto Britânico (“British Open”) por incríveis sete vezes. Isso foi o início da história mais espetacular do esporte.

Hashim Khan | Imagem: squashmad.com

No livro Squash: uma história do jogo (2003), o autor James Zug argumenta que “Hollywood não poderia inventar uma história mais romântica do que a trajetória de Hashim Khan”. Seu percurso certamente inspirou a família Khan, que passou a dominar o mundo do Squash por quase 50 anos. Isto é, de 1951, quando Hashim ganhou seu primeiro British Open, até 1998, quando Jansher Khan, descendente de outro clã Khan, perdeu para Peter Nicol na final do também British Open.

A história da dinastia da família Khan no Squash é contada no livro Khans Unlimited (1997), voltado para os aficcionados pelo esporte. Uma versão mais alegórica pode também ser encontrada no website squashsite.co.uk, que relata o seguinte sobre o clã: “nossas raízes podem ser traçadas para o vale da montanha Khyber Pass (passagem montanhosa próximo da fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão), e assim como perpassar esse caminho era dogmático, ser o melhor no Squash também era o objetivo de um membro da família Khan”.

Não por acaso, Jonhah Barrington, famoso por referenciar o Squash como uma espécie de “Boxe com raquetes”, afirmou que a família Khan viam si mesmos como guerreiros, prontos para encarar um esporte duro como o Squash.

Incapaz de encontrar alguém no mesmo nível que ele, Hashim treinou seu irmão mais jovem, Azam, para ser seu parceiro de treino. Em 1954, eles estavam jogando um contra o outro na final do British Open. Hashim venceu, embora Azam tenha se tornado campeão entre 1959 e 1962. Azam também ganhou o US Open em 1962.

SEGUNDA DINASTIA KHAN

Outro Khan famoso, Roshan, relacionado aos demais por questões de casamento, também foi um jogador profissional de sucesso. Ele teve dois filhos: Torsam e Jahangir. O primeiro morreu tragicamente, ainda jovem, em 1979, vítima de um ataque cardíaco durante uma partida na Austrália. Apesar de ser uma criança com problemas de saúde, seu irmão Jahangir tomou para si o mantra da família. Ele se transformou em um excepcional jogador. É responsável pela segunda parte da história mais espetacular do esporte. Entre todos os Khans, é justamente o que pode ser descrito como o maior jogador de Squash de todos os tempos.

O sucesso de Jahangir dependia, em parte, do seu lendário programa de treinamento físico. Isto é, longas corridas matinais, treino na academia, exercícios com a raquete (jogadas repetitivas para aperfeiçoar a técnica e a batida na bola) e incessantes tiros de de curta distância em quadra. Ele tinha um preparo físico extremo. Não perdeu uma partida sequer por cinco anos e oito meses, ou seja, de 1981 a 1986. Isso representa um recorde de 555 jogos invicto em sequência. Em entrevistas e em seu livro Winning Squash (1985), Jahangir explica sua filosofia:

EPÍLOGO DA HISTÓRIA MAIS ESPETACULAR DO ESPORTE

Sem dúvida, é um longo caminho. Desde a pobre comunidade em Peshawar no Paquistão, até se tornar a grandiosa família e construir a história mais espetacular do esporte. Biografias e trajetórias de vida são sempre fonte de inspiração para os envolvidos no ramo de atuação do personagem. Creio que a história da família Khan só realça a força do esporte. Ou seja, transformar vidas e levar esperança para onde menos se espera. E, acredito, mais orgulho gera em nós squashistas, por esse espetacular enredo ser associado ao Squash.


1Significado da palavra: título dado aos soberanos mongóis que reinaram na China, na Mongólia e em algumas nações das estepes centrais da Ásia. Fonte: Wikipedia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui

ENTENDA O SQUASH

428FãsCurtir
721SeguidoresSeguir
120SeguidoresSeguir
269InscritosInscrever

Curtinha do squashistas

Receba mensalmente atualizações no seu email.