A grande vitória de Miguel Rodriguez: lições do British Open

A edição do tradicional torneio British Open de 2018 terminou com um resultado um tanto inesperado. Afinal, quem diria que a grande vitória de Miguel A. Rodriguez sobre o egípcio Mohamed El Shorbagy estaria no roteiro? O colombiano, ranqueado na posição 14 na época do torneio, se tornou o primeiro jogador sul e latino-americano a vencer o “Wimbledon” do Squash.

Tendo que passar pelas etapas qualificatórias, Rodriguez superou grandes nomes no seu caminho. A grande vitória não foi apenas na final. Ou seja, pode-se dizer que um conjunto delas ocorreu ao longo do torneio. O colombiano superou, dentre outros, Ramy Ashour (1x campeão) e Ali Farag (número 2 do mundo a época do torneio).

Aliás, também foi a primeira vez que um jogador vindo das etapas qualificatórias se tornou o campeão na era moderna. Sem dúvida, um feito que adiciona ainda mais expressão para a grande vitória de Rodriguez.

Na entrevista após o jogo, o colombiano deixou lições sobre o feito que pode nos fazer refletir sobre diversos elementos da preparação de um jogador. Desde o lado mental do Squash, até a preparação física. Isto é, como o jogo interior e um trabalho adequado de alimentação, fortalecimento e condicionamento físico são responsáveis por boa parte do desempenho dos atletas.

E aqui não se faz referência apenas aos profissionais. Logo, todos podem se beneficiar das palavras de Rodriguez. Vamos a elas.

A grande vitória: lição número 1

Acho que tudo foi mental, eu sonhei com isso. Tive emoções durante toda a semana, estou simplesmente sem palavras.
Miguel A. Rodriguez

Uma das principais estratégias mentais para melhoria do desempenho é a chamada visualização. Isto é, imagina-se em uma situação desejada para sentir-se parte daquele momento. A partir disso, constrói-se uma trajetória e unificam-se os esforços em torno do objetivo estabelecido.

Aqui não se discute mais a fundo as técnicas de projeção. Mesmo assim, já é reconhecido que trata-se de uma importante aliada na preparação mental. Consequentemente, é uma habilidade a ser desenvolvida em qualquer esfera da vida.

No caso do Squash, isso se aplica totalmente. O lado mental do desempenho em um esporte dinâmico como o nosso não pode ser deixado de lado. Afinal, pressão, necessidade de dar respostas rápidas ao jogo do oponente, ser ágil, ter uma estratégia de jogo, ser avaliado pelos pares ou pelo professor estão presentes no Squash.

A grande vitória: lição número 2

Sou muito grato pela oportunidade de vencer esse grande torneio, o maior de todos os tempos. É como vencer o Wimbledon do Squash. Ninguém na Ámerica do Sul alcançou esse feito antes, acho que posso dizer que sou uma lenda.
Miguel A. Rodriguez

Um dos principais atributos de um vencedor é saber reconhecer suas vitórias. Isto é, não se trata de ser soberbo ou demonstrar falta de humildade. Mas, sim, de aceitar seus feitos e ser grato por isso.

Todo o esforço empreendido para chegar a essa situação é agora recompensado. E isso serve como estímulo para continuar a se dedicar em todos os momentos. Afinal, retira-se os aspectos negativos do caminho, orienta os pensamentos para o que há de bom e aumenta a autoestima.

A grande vitória: lição número 3

Não consigo acreditar que consegui superar um jogador do nível de Mohamed El Shorbagy, que já venceu tantos torneios. Não consigo acreditar que tenho 32 anos e acabei de ser campeão do British Open.
Miguel A. Rodriguez

Quem conhece Mohamed El Shorbagy sabe que é um jogador de sucesso, com uma rotina de treinamento que o coloca entre os mais preparados.

Mas quem conhece Rodriguez, sabe que ele é um dos jogadores mais tenazes do circuito profissional. Não há bola perdida para o colombiano.  Não há a palavra desistir no seu dicionário. Ele é conhecido por sua capacidade atlética no circuito profissional. Trabalha de forma integrada alimentação, fortalecimento e condicionamento físico.

Além disso, tem uma técnica apurada que o permite sair de situações desvantajosas e contra-atacar o oponente com precisão. Isto é, quando tudo parece definido, ele vai lá e faz uma jogada inesperada e de pura raça. Veja o vídeo a seguir para entender.

Conclusão

A grande vitória de Rodriguez no British open é, sem dúvida, um grande feito para o Squash em toda a América Latina. Ele já era um jogador carismático. Geralmente um dos preferidos do público. Agora adicionou mais um atributo ao seu repertório. Ou seja, a de primeiro jogador da região a vencer um torneio PSA World Tour.

Trata-se de um feito inédito. A torcida agora é para que outros squashistas latino-americanos possam repetir a façanha em outros torneios. Afinal, o que se deseja é que o Squash cresça e que tenham cada vez mais atletas de alto nível da nossa região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui

CONTEÚDO DO BLOG

428FãsCurtir
721SeguidoresSeguir
120SeguidoresSeguir
269InscritosInscrever

Curtinha do squashistas

Receba mensalmente atualizações no seu email.