Aceitação no Squash: amor fati

O amor fati é um princípio do estoicismo que significa amar o destino. Ou seja, aceitar tudo o que acontece na vida como parte de um plano maior e não se lamentar ou se revoltar contra as circunstâncias. Esse conceito pode ser muito útil para quem pratica squash, pois ajuda a lidar com os desafios, as frustrações e os obstáculos que surgem dentro e fora da quadra. Aceitação no squash é algo que precisa ser trabalhado como parte de uma estratégia mental. Neste texto, vamos ver como o amor fati se relaciona com o nosso esporte e como ele pode nos ajudar a progredir.

O amor fati e o que acontece dentro da quadra

Quem joga squash sabe que nem sempre as coisas saem como planejamos. Às vezes, perdemos um ponto por um erro bobo. Outras vezes, enfrentamos um adversário muito mais forte ou mais experiente do que nós. Nessas situações, é comum sentir raiva, tristeza, ansiedade ou desânimo. Todavia, essas emoções negativas só atrapalham o nosso desempenho e nos impedem de aproveitar o jogo.

O amor fati nos ensina a aceitar o que acontece dentro da quadra como uma oportunidade de aprendizado e de crescimento. Em vez de nos lamentarmos pelo que deu errado, devemos nos concentrar no que podemos fazer para melhorar no próximo ponto, no próximo game ou na próxima partida. Devemos reconhecer que cada desafio é uma chance de testar as nossas habilidades, de superar os nossos limites e de nos divertirmos com o esporte. Em resumo, trata-se de estabelecer uma ideia de aceitação no squash, tentando tirar lições e viver o presente quando se está em quadra.

O amor fati e a progressão no squash

Aceitar o que acontece dentro da quadra não significa se conformar ou se acomodar. Pelo contrário, significa usar cada experiência como um estímulo para progredir no squash. O amor fati nos motiva a buscar constantemente o nosso aperfeiçoamento, tanto técnico quanto mental.

Para isso, devemos ter uma atitude positiva e proativa em relação ao nosso treinamento. Precisamos praticar com frequência e intensidade, buscando sempre corrigir os nossos erros e aprender com os nossos acertos. Devemos também estudar o esporte, assistindo a vídeos de jogadores profissionais, lendo livros e artigos sobre squash e conversando com treinadores e colegas. Precisamos ainda cuidar da nossa saúde física e mental, alimentando-nos bem, dormindo bem e relaxando.

O amor fati nos faz ver o squash como uma escola de vida, onde podemos desenvolver virtudes como a disciplina, a perseverança, a humildade e a resiliência. Essas virtudes nos tornam não só melhores jogadores, mas também melhores pessoas.

Conclusão

O amor fati é um princípio do estoicismo que nos ajuda a aceitar tudo o que acontece na vida como parte de um plano maior. Esse conceito pode ser aplicado squash, pois nos ensina a lidar com os desafios, as frustrações e os obstáculos que surgem dentro e fora da quadra. O amor fati nos faz ver cada situação como uma oportunidade de aprendizado e de crescimento, tanto no esporte quanto na vida. A aceitação no squash nos motiva a buscar constantemente o nosso aperfeiçoamento, tanto técnico quanto mental. O amor fati nos faz ver o squash como uma escola de vida, onde podemos desenvolver virtudes que nos tornam melhores jogadores e melhores pessoas.

CONTEÚDO DO BLOG

428FãsCurtir
721SeguidoresSeguir
120SeguidoresSeguir
274InscritosInscrever

Curtinha do squashistas

Receba mensalmente atualizações no seu email.