Como evoluir no Squash com consistência, foco e superação

Se você acha que seu desempenho não progride na velocidade que você queria, não se preocupe. Aqui eu vou tentar apresentar alguns elementos que julgo mais interessante para mim do que pensar apenas nos resultados em si. Ou seja, como evoluir no Squash relacionando foco, consistência e superação para aumentar a simples satisfação de jogar.

Eu escuto repetidamente dos amigos no clube a ânsia pela melhora, em chegar nas classes mais altas nos campeonatos locais, de mostrar que é melhor do que o amigo. São comuns frases do tipo: “Quero ganhar de fulano!”, “Preciso jogar com jogadores melhores para evoluir.”, “Só jogo com quem é do meu nível.”.

Eu também já tive alguns desses pensamentos, não vou mentir, principalmente quando iniciei. Porém, minha percepção começou a mudar na medida em que reorientei o meu propósito dentro de quadra. Isto é, passei a me concentrar na satisfação e não em apenas ganhar partidas. Daí, ficou fácil associar isso a foco, consistência e superação. São três elementos de uma estratégia que tem funcionado para evoluir no Squash e dar mais satisfação com o esporte em si.

Consistência

Uma das maiores frustrações, pelo menos para mim, é entrar em quadra e sentir que o rendimento não foi o esperado. Ou seja, que fiquei muito abaixo do que poderia fazer. Se por culpa do adversário, tudo bem, é menos problemático. Se é por minhas imprecisões, aí sim, dá aquela sensação de que “faltou algo”. Logo, a maneira mais simples que encontrei para lidar com isso foi pensar no significado de consistência dentro de quadra.

Nesse processo, descobri que o mais simples pode ser eficiente e eficaz, contribuindo para aumentar a satisfação com o jogo. Em outras palavras, ter um jogo básico, sem muita firula, ajuda a evoluir no Squash. Eu sei que esse é um mandamento básico. Todavia, por muitas vezes, ignoramos ou deixamos de lado por diversos motivos.

Evoluir no Squash não é um processo complicado se você orienta seu jogo para ser consistente. Para mim, isso envolve, além dos dez mandamentos, aprender a ser paciente no jogo. Por exemplo, você sabia que cada erro seu representa 9% da vitória para seu adversário (1 ponto é 9% de 11 pontos)? Logo, cada vez que você acerta a lata ou joga fora da quadra, você o ajuda na vitória. Eu sei que isso não é novidade. Mas você já parou para pensar na quantidade de vezes que faz isso quando não precisava, ou seja, sem nenhuma pressão da jogada adversária?

Aqui entra o ponto principal da consistência para mim: jogue o simples, faça o básico na maior parte das vezes, não invente, concentre-se em adotar esse estilo de jogo. Isso implica pensar no seu treinamento ou, se só joga, ter disciplina para, quando possível, praticar esse estilo. Pensando em treinar, nada funcionou melhor nesse quesito para mim do que o famoso treino solo, já falei sobre sua importância nessa outra postagem.

Foco

O foco, em sentido figurado, significa o ponto para o qual converge alguma coisa. Consequentemente, fazendo uma analogia com o Squash, cada um pode estabelecer o seu. Para mim, separei em dois principais. O primeiro é meu estilo de jogo, isto é, o que quero fazer quando entro em quadra. Já deve ter ficado claro que minha principal intenção é jogar o básico, tentando mandar a bola para o fundo de quadra, aplicando, na medida do possível, o “modelo do ovo frito”.

Para isso, meu treinamento envolve, essencialmente, controle, mesmo que em detrimento da potência. Faço isso sozinho em quadra, pois me ajuda a aumentar minha percepção de toque no contato entre raquete e bola. Sou, por vezes, criticado pela falta “violência’, por assim dizer, na minha batida. Sei que é preciso equilíbrio, mas, meu foco é precisão e consistência, mesmo que, momentaneamente, isso me custe sair vencedor de quadra.

O segundo elemento de foco para mim é se concentrar em quadra. Se é preciso consistência, também se faz necessário voltar a atenção para algo durante o jogo. O que menos me ajudou até agora foi o que vem de fora. O que mais contribuiu foi voltar o pensamento para si mesmo e não para o adversário. Você deve ter aquele amigo que grita, tenta intimidar, olha com superioridade.

Se você é do tipo que gosta de fazer isso e acha que funciona para si, continue fazendo. Do contrário, foque em si mesmo, ou seja, na sua raquete, ou no seu tênis, ou em algum objetivo específico que o ajude a manter a concentração. Qualquer que seja a escolha, não esqueça de focar na próxima jogada. Afinal, quando um ponto termina, ganhando ou não, o que importa é o que vem a seguir.

Superação

Acredito que todos nós amadores temos alguns jogadores que nos servem de referência pensando em evoluir no Squash. Para mim, Amr Shabana no quesito consistência e Ramy Ashour em termos de superação. Quem acompanhou a carreira desse último, sabe que sua trajetória tem tudo a ver com não desistir. Para além da sua mágica dentro de quadra, certa vez, li em uma das redes sociais dele algo que passou a me inspirar não apenas no esporte, mas na vida. Ou seja, seu lema envolvia, literalmente traduzindo: “eu não quero ser melhor do que ninguém, a não ser eu mesmo”.

Claro que cada um pode interpreta a frase a sua maneira. Não vou entrar no mérito das características típicas do Squash, ou seja, em termos de desgaste físico e na necessidade de não desistir, acreditar na vitória sempre e não desistir em nenhum ponto. Tudo isso é importante, é óbvio.

Para mim, contudo, o maior significado de superar a si mesmo é que o maior obstáculo que temos que enfrentar é, na verdade, nós mesmos. Afinal, podemos nos boicotar de diversas formas ou fugir da responsabilidade sobre nossas escolhas. Logo, a busca pelo aperfeiçoamento pessoal é um caminho voltado para o autoconhecimento, uma forma de se concentrar em si e não em outrem. É uma maneira de reconhecer as próprias imperfeições e buscar o aperfeiçoamento pessoal.

Trazendo para o contexto do Squash, isso significa que superar a si mesmo é uma das formas de aumentar a satisfação com a prática do esporte. Isso envolve, tanto os elementos de consistência quanto os de foco discutidos. Afinal, o que eu preciso fazer para evoluir no Squash? Treinar paralela, treinar cruzada, melhorar meu posicionamento? Qualquer que seja a escolha, o foco deve ser, prioritariamente, em você e não no seu adversário. Como já falei em outra postagem, a única coisa no seu controle, é como você joga.

Conclusão

Em síntese, o objetivo dessa postagem foi fazer uma reflexão sobre a importância de ter uma estratégia básica para evoluir no Squash. Ou seja, estabelecer um estilo de jogo consistente, com foco em todos os momentos do jogo (no saque, na devolução, depois de um erro etc.) e superação para melhorar no esporte.

O resumo da ópera que quero deixar é que não adianta fazer firula, o básico vai trazer mais consistência em resultados. Também não adianta querer jogar igual ao professor ou ao amigo que joga há muito tempo. Em outras palavras, estabeleça o seu estilo, escute as dicas dos mais experientes ou dos amigos, mas tenha cautela, não adianta querer aplicar sem antes treinar repetidamente. Por fim, lembre-se, consistência, foco e superação são três elementos importantes, mas de nada adiantam se, por outro lado, te levarem para um caminho que não traga satisfação em jogar Squash.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, insira seu nome aqui

CONTEÚDO DO BLOG

428FãsCurtir
721SeguidoresSeguir
120SeguidoresSeguir
269InscritosInscrever

Curtinha do squashistas

Receba mensalmente atualizações no seu email.